Coaching

Introdução

Um questionamento bastante comum é a respeito do processo de coaching. O que ele aborda de diferente ou inovador das outras metodologias. Acredito que a pergunta mais feita é: O que é, afinal, o coaching?

 

Após conhecer o processo como coach, achei inusitada e reveladora a capacidade de criar mudanças nas pessoas. Isto com apenas alguns conceitos e questionamentos.  Para entendermos o que é o coaching, temos que entender três coisas fundamentais primeiro. De onde ele veio, qual o valor que ele agrega e o porquê todas as pessoas precisam conhecer o processo. Pode parecer abusivo dizer que todos precisam de coaching, porém irá ficar mais claro adiante.

 

História

O coaching veio do esporte. É uma metodologia fomentada pelo “Jogo interior de tênis” onde foi se aperfeiçoando ao longo dos anos dentro deste meio. Nestes esportes, os estados psíquico e psicológico, afetam o resultado de uma partida e a estratégia a ser seguida. Com isso, viu-se a necessidade de um desenvolvimento pessoal e alta autodisciplina alta para atingir níveis elevados de jogo. Os resultados eram substanciais dentre os atletas que praticavam para os que não praticavam a metodologia, e foi assim que alguns empresários, que estavam neste ambiente, acharam que a ela poderia ser agregada ao mundo dos negócios, levando-a para as corporações.

 

No mundo empresarial, o coaching foi evoluindo e pelos últimos 30 anos. Além de vir se modernizando e criando fortes embasamentos práticos de sua eficiência e eficácia nas organizações. Com a rápida troca de informações devido à globalização, o coaching foi se adequando rapidamente dentre o cenário e gerando cada vez mais aceitação e casos de sucesso no meio corporativo. Disso tudo, o mais importante, é que está comprovado em vários estudos independentes, que o processo proporciona “retorno sobre o investimento”.

 

Instituto Vertus - Coaching

O uso do coaching

Mas isso se deve a que? O processo de coaching é um processo de transformação e parceria, onde seu principal aliado é o desenvolvimento humano em busca de algum objetivo pessoal ou profissional. Todos nós precisamos de transformações para alcançarmos nossos objetivos. É normal não vermos nossas próprias limitações e acharmos que nos conhecemos perfeitamente bem e não temos problemas neste quesito. A reflexão se dá no fato de, se eu sei como sou e como ajo, qual o motivo de não ter alcançado o que eu quero para mim?

Normalmente, a resposta para esta pergunta, se você conseguiu dar, é de algum fator externo, não é? Se você respondeu com uma justificativa externa, ao invés de uma responsabilidade sua, como por exemplo, não tem emprego no mercado, a crise está feia no meu setor, ela (ele) não me entende mesmo, somos muito diferentes e não ia dar certo, eu nunca vou emagrecer pois meu metabolismo é muito ruim, é culpa da minha genética, dentre outros, mostra como o que você fez, é ou age até agora, não te ajuda no cumprimento do seu objetivo, e você realmente precisa repensar sobre o que você sabe de você mesmo.

 

É difícil mudar parâmetros que sempre foram assim. Às vezes nos pegamos imaginando que nossa essência é assim e que nunca poderemos mudar isso ou perderemos nossa identidade. Na verdade, ao conhecer suas respostas comportamentais, reações às situações de risco, de incerteza, de raiva, de ódio e o que cada uma delas cria em você, garantirá que você irá tornar suas decisões as melhores possíveis para estes determinados momentos. Saber qual a melhor estratégia sua e o que você pode fazer para aquela situação específica, é a chave do crescimento e do desenvolvimento pessoal, e consequentemente, profissional.

 

Cabe a VOCÊ.

Levando para você, que está lendo este texto por algum motivo. Quantos comportamentos, expressões ou frases você achou desnecessário, abusivo? Ou desmedido no dia de hoje em relação às outras pessoas que passaram ou interagiram com você? E quantos você achou bonito, altruísta ou comovente? Não pense no quantitativo, mas sim se eles aconteceram. Se você consegue enquadrar comportamentos dos outros em algum destes simples exemplos, o que te faz pensar que esta pessoa que você pôs no comovente, não te colocaria no desmedido? Não cabe apenas você saber o que fazer, saber o que é o certo e ter boas intenções. Mas sim agir de acordo com sua convicção para que os outros também sintam o que você quer transmitir. Esse é o motivo que fundamenta o processo de mudança no coaching e o reconhecimento de comportamentos. O que todos deveriam ao menos conhecer e se submeter.

 

Sozinhos, somos muito influenciados pela nossa mente e isso, normalmente, gera uma tendência a ficar aonde nos sentimos mais seguros. Sua mente não joga contra você. Mas ela o distrai e tira seu foco quando algo que daria muito trabalho surge, pois ela preza pela inércia do conforto atual. Se Bill Gates (Microsoft), Michael Dell (Dell Computadores), Eric Schmidt (Google), entre muitos outros empreendedores e visionários, têm o coaching como grande parte da vida e mesmo com sonhos realizados e fortunas além da compreensão, ainda buscam se conhecer e serem melhores do que foram antes, com certeza é algo a se pensar a respeito de nossas próprias vidas e sem dúvida, vale a curiosidade.

 

Conclusão

Com isso, trazemos que o coaching é um processo totalmente isento de sugestão, indução ou condução em sua essência. É aquela pessoa que irá te condicionar, te desafiar, te incentivar e te apoiar. Pois ele realmente acredita que cada um é capaz de mudar seu destino. E ninguém sabe mais sobre a sua própria vida do que você mesmo. As maiores realizações não estão nas melhores ideias, mas sim no que você faz diariamente em direção a ela. Pois isso é o que a torna a melhor.

O processo traz práticas que são totalmente focados em uma meta, onde o coach vai te apoiar sempre em seu atingimento. Também focando em extrair o máximo do que você mesmo pode, consegue e até mesmo, nunca imaginou fazer quando estava sozinho. Ele traz teorias da terapia cognitiva, psicologia positiva, programação neuro-linguística, gestão de negócios, estratégia e filosofia e as coloca em um processo pragmático, estruturado e focado no objetivo do coachee, onde ele deve se sentir mais capaz e apoiado no rumo aos seus objetivos e por que não, sonhos!

 

Escrito por Yuri Bertoldo Cervantes
Master Coach do Instituto Vertus de Mediação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *